• Centro de Informação de Resíduos

    Informe-se aqui sobre o trabalho e as áreas de intervenção do Centro de Informação de Resíduos da Quercus, existente desde 1995.

  • Centro de Informação de Resíduos

    Informe-se aqui sobre o trabalho e as áreas de intervenção do Centro de Informação de Resíduos da Quercus, existente desde 1995.

  • Centro de Informação de Resíduos

    Informe-se aqui sobre o trabalho e as áreas de intervenção do Centro de Informação de Resíduos da Quercus, existente desde 1995.

Intervenção | Fluxos Especiais

 

Fluxos Especiais


 

 

Pilhas
A Quercus lançou a primeira grande campanha de recolha de pilhas a nível nacional, tendo juntado cerca de 11 toneladas. Coube ao CIR dar continuidade a esse trabalho e convencer o Ministério do Ambiente a pagar a reciclagem dessas pilhas e a criar um sistema que viabilizasse, a nível nacional, a recolha e reciclagem deste fluxo de resíduos.

As pilhas da Quercus foram enviadas para reciclagem após um trabalho de colaboração com o Instituto dos Resíduos e posteriormente o Governo acabou por criar um sistema, a Ecopilhas, que obriga as empresas que colocam as pilhas no mercado a pagarem os custos da sua recolha e tratamento.

 

Pneus
Durante algum tempo a Quercus dedicou especial atenção à questão dos pneus, tendo inclusivamente organizado uma manifestação à porta do Ministério do Ambiente, alertando para o problema da queima de pneus numa unidade em Penafiel, assim como na cimenteira de Maceira, para além de apresentar provas de que a reciclagem de pneus é possível. O Governo acabou por criar a Valorpneu, sistema em que as empresas que colocam os pneus no mercado são responsáveis por financiar a sua recolha e tratamento. Este sistema recicla actualmente 40 mil das 70 mil toneladas de pneus usados e envia para recauchutagem (reutilização) cerca de 15 mil toneladas, sendo as restantes co-incineradas.


A Quercus, em conjunto com as empresas de reciclagem, tem vindo a desenvolver acções e estudos visando aumentar o mercado da reciclagem de pneus, dedicando especial atenção à aplicação de borracha nos pavimentos das estradas (betume modificado de borracha), solução que aumenta o tempo de vida das estradas e reduz substancialmente o ruído.

 

Equipamento Eléctrico e Electrónico
Durante os últimos anos, a Quercus lutou para que fosse criado um sistema para a gestão dos resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos (REEE) à semelhança dos que foram constituídos para as pilhas e pneus.

A Quercus fez diversos alertas para a situação aberrante de existirem em Portugal empresas que podiam reciclar computadores, televisores, frigoríficos, lâmpadas fluorescentes e outros REEE, mas não existir um sistema que financiasse essas operações. Foi mesmo realizado um estudo propondo um modelo de gestão de lâmpadas fluorescentes usadas.

Como forma de protesto foram enviadas queixas para a Comissão Europeia relativas ao incumprimento, pelo nosso país, das exigências comunitárias no âmbito do combate à emissão de substâncias empobrecedoras da camada de ozono, tendo em consequência disso a Comissão Europeia accionado um processo contra o Estado Português por não promover a recolha e tratamento adequado de frigoríficos, arcas congeladores e aparelhos de ar condicionado.

Infelizmente, uma legislação aprovada nesse sentido pelo Governo em 2000 não foi respeitada pelo Governo seguinte, pelo que só agora será criado um sistema de gestão para estes resíduos (AMB3E) por força de uma directiva comunitária sobre REEE.

 

Resíduos de Construção e Demolição
Não existindo legislação específica visando uma boa gestão dos resíduos de construção e demolição (entulhos) a Quercus realizou um levantamento das possibilidades de gestão deste fluxo e concluiu que grande parte destes resíduos podem ser facilmente reciclados, mas acabam por ser descarregados um pouco por todo o lado, desperdiçando um recurso e contaminando a paisagem, a água e o solo.

Recentemente, o Ministério do Ambiente apresentou uma proposta de legislação que já prevê um adequado sistema de controlo para estes resíduos, assim como algumas medidas, embora insuficientes na óptica da Quercus, no sentido de promover a sua reciclagem.

 

Óleos Alimentares
Após tomar contacto com uma solução tecnológica que permite a transformação dos óleos alimentares usados em biodiesel (substituto do gasóleo) em unidades de pequena escala, a Quercus iniciou um trabalho visando a instalação destas unidades, tendo inclusivamente sido determinante a sua intervenção para a constituição da primeira empresa do sector em Portugal e das duas que se seguiram, completando o total de três existentes no país.

Demonstrada a viabilidade deste processo, os objectivos seguintes são, por um lado, garantir que estas unidades de pequena e média escala que utilizam óleos alimentares usados no fabrico de um biocombustível sejam automaticamente isentas do Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos e, por outro lado, promover a criação de uma associação das empresas do sector.


Veículos em Fim de Vida
A criação de um sistema para os veículos em fim de vida (VFV), a Valorcar, veio abrir as portas para uma melhor gestão destes resíduos.

Infelizmente, porém, a intervenção de diversas entidades neste sector não tem permitido que o processo esteja a decorrer da forma mais desejável, uma vez que os VFV continuam a seguir em grande quantidade para as empresas de sucata, onde, para além de não serem garantidas condições ambientais, também não é dado o devido encaminhamento para muitos dos resíduos recicláveis.

 

A razão principal está no facto de não estar a ser cumprida, pela Direcção Geral de Viação, a legislação que condiciona o abate da matrícula à apresentação prévia do certificado de destruição da viatura por um operador licenciado.

 

Assim, muitos VFV abandonados, recolhidos pelas câmaras ou deixados nas oficinas, são encaminhados para os sucateiros ilegais, acabando as empresas licenciadas para a descontaminação e o desmantelamento por receberem poucas viaturas.

 

A Quercus tem vindo a pressionar as entidades competentes na matéria, INR e DGV, tendo já sido emitida uma circular pelo INR alertando para o problema, enquanto que a DGV prometeu que vai actuar, mas ainda não o fez.

 

 

 

 

Share
Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb