Quercus solicita inspeção urgente da IGAMAOT e pede reunião com o delegado saúde local

Por outro lado pode ser responsabilizada a tutela por não existir no seixal uma nova estação de monitorização de qualidade do ar capaz de aferir o estado do ar local

 

Apesar do histórico de queixas e reclamações da população local de superior a 20 anos, a Agência Portuguesa do Ambiente renovou a Licença Ambiental pelo período de sete anos, exigindo nessa renovação o cumprimento de várias ações.

 

Nesse contexto solicitamos uma inspeção com caracter de urgência à Siderurgia Nacional no Seixal para verificação do cumprimento das obrigações decorrentes da nova licença ambiental.

 

Por outro lado, atendendo a que esta situação tem levantado fundamentadas dúvidas de garantia e salvaguarda da Saúde Publica, e considerando que estamos a falar de uma localidade com mais de 15 mil habitantes, entendemos da maior importância reunir com o delegado de saúde local para avaliar esta situação, considerando que as informações que dispomos levam-nos a um grau elevado de preocupação em relação ao bem-estar da população local.

 

As imagens que passaram em todas as televisões com pó de limalha de ferro a ser atraído para ímanes demonstram bem a perigosidade das poeiras e do efeito nefasto para a saúde das pessoas que são obrigadas a inalar estes materiais sólidos.

 

Por último lamentamos que não tenha sido cumprida a promessa do Secretário de Estado do Ambiente, atendendo que este em sede de comissão parlamentar de ambiente (realizada em 2017) garantiu que iria ser instalada outra estação de monitorização da qualidade do ar no Seixal para controlo das emissões poluentes e salvaguarda da população local, o que ate à data não se verifica.

 

 

A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 

 

Share
Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb