5 de Junho – Dia Mundial do Ambiente

Quercus pede “tolerância zero” em relação ao tráfico ilegal de espécies da fauna e da flora silvestre

 

dia mundial do ambienteHoje, dia 5 de Junho, celebra-se o Dia Mundial do Ambiente. Esta efeméride foi criada pelas Nações Unidas em 1972 e procura promover a consciencialização global e incentivar a acção mundial para as questões ambientais.

 

O tema lançado pelas Nações Unidas para as celebrações deste ano, "Lutar pela Vida Selvagem", concentra a atenção numa preocupação ambiental especialmente urgente, o comércio ilegal de fauna e flora selvagem, desafiando-nos a lutar pela vida selvagem e a mostrar tolerância zero em relação ao tráfico ilegal de espécies da fauna e da flora silvestre.

 

O tráfico e a caça ilegal de animais selvagens representam a ameaça mais imediata para muitas espécies, sendo já responsáveis pela extinção de várias e pela condução de outras tantas até ao limiar da extinção. Esta destruição da biodiversidade produz amplos impactos económicos, ambientais e sociais, sendo a crescente perda de biodiversidade um dos maiores problemas ambientais a nível global.

 

A Quercus relembra que a vida selvagem tem um valor intrínseco e a sua conservação proporciona às populações uma infinidade de benefícios e serviços, contribuindo para diversos aspectos ecológicos, genéticos, sociais, económicos, científicos, educativos, culturais, recreativos e estéticos do desenvolvimento sustentável e bem-estar humano.

 

Em Portugal, todos os anos são apreendidos, em habitações privadas, muitos espécimes sem a necessária documentação que prove a sua origem legal e exemplares de espécies potencialmente perigosas, como leões, tigres, chimpanzés, cobras constritoras, crocodilos, aranhas viúvas negras, entre outros. Para além disto, registam-se também diversas ocorrências de comércio ilegal, tanto de espécies autóctones como de espécies exóticas, algumas com grande importância em termos de conservação, efectuado por particulares e redes de tráfico organizado, envolvendo diversas espécies de aves, répteis, mamíferos e peixes que se encontram já ameaçadas.

 

A Quercus reforça o vínculo fortíssimo que existe entre a fauna e flora selvagem, as populações e o desenvolvimento sustentável. É da responsabilidade de todos nós, indivíduos, sociedade civil, organizações governamentais e não governamentais proteger a vida selvagem e assegurar a sua sobrevivência.

 

Lisboa, 05 de Junho 2016

A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

Share
Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb