Automóveis mais eficientes e limpos podem levar portugueses a poupar mais de 100 euros/mês


A Comissão Europeia (CE) prepara-se para apresentar uma proposta que vai baixar os limites de emissão de dióxido de carbono (CO2) dos carros para uma média de 95gCO2 por km em 20201. Como estas emissões estão diretamente relacionadas com o consumo de combustível, esta legislação irá também resultar em carros mais eficientes.

 

Um estudo recentemente divulgado em Bruxelas pela Greenpeace European Unit, com dados para vários países da União Europeia (UE), estima que os condutores portugueses podem poupar mais de 400 euros em combustível em 2020 e 800 euros em 2030 se o Parlamento Europeu e os Ministros do Ambiente aprovarem a proposta da Comissão. Poupanças estas que podem ser ainda maiores se os Ministros e os Eurodeputados forem mais ambiciosos e impuserem 80 gCO2/km como limite em 2020 e 60 gCO2/km em 2025. Neste caso, poderão ascender a perto de 500 euros anuais em 2020 e mais de 1200 euros em 2030.

 

O Regulamento Europeu2, que estabelece metas para a redução das emissões de CO2 dos novos veículos ligeiros de passageiros, foi introduzido em 2009 e deverá ser revisto ainda este ano. Esta legislação estabelece que, em média, os veículos vendidos pelas marcas automóveis na União Europeia, não deverão emitir mais de 130 gCO2/km, em 2015, e a Comissão prepara-se agora para reduzir este valor para 95 gCO2/km, em 2020.

 

Em Portugal, os resultados desta legislação foram amplamente visíveis em 2010: as emissões médias de CO2 na nova frota de ligeiros de passageiros reduziram cerca de 3,7%, com várias marcas automóveis a colocar no mercado veículos com emissões muito abaixo de 130 gCO2/km 3. Ainda este ano serão divulgados as emissões médias de CO2 referentes ao ano de 2011.

 

Numa altura em que os preços dos combustíveis continuam a bater recordes, um estudo da Greenpeace, cujo resumo se envia em anexo, contabilizou os custos anuais com os combustíveis rodoviários e o nível de poupança que a introdução de carros mais eficientes no mercado vai proporcionar aos condutores nas próximas décadas em 15 países europeus, entre os quais Portugal.

 

Os resultados mostram que, em 2010, os condutores portugueses gastaram, em média, cerca de 2075 euros em combustíveis, valor que poderá cair substancialmente ao longo dos próximos anos caso a UE reverta as suas metas de emissões para os novos veículos ligeiros de passageiros em 2012, tornando-os mais eficientes.

 

As projeções mostram que a meta de emissões específicas médias de 95 gCO2/km em 2020 – equivalente a um consumo de aproximadamente 3,7 litros/100km - que a REUTERS noticia estar prestes a ser proposta pela CE - levará os portugueses a poupar em custos de combustível mais de 400 euros em 2020, e mais de 800 euros em 2030, menos 21% e 39%, respetivamente, face aos custos despendidos em 2010 (cenário 1).

 

No entanto, se a UE aumentar o nível de ambição na revisão do Regulamento para 80 gCO2/km em 2020 – equivalente a cerca de 3,2 litros/100 km - e definir uma meta de 60 gCO2/km em 2025 - como defendem as organizações não governamentais de ambiente na Europa - os condutores portugueses poderão reduzir a sua fatura em combustíveis em mais de 1200 euros em 2030, uma poupança de 59% face aos custos de 2010 (cenário 2).

 

tabela fuel costs PRJun2012

 

As organizações de defesa do ambiente mostram-se satisfeitas com a notícia que referia a intenção da CE em tornar o limite de emissão de 95 gCO2/km vinculativo para 2020. No entanto, realçam que se este limite não for revisto em baixa para refletir os avanços tecnológicos mais recentes, a Europa perderá a sua liderança na promoção de veículos limpos para os Estados Unidos, onde a legislação para melhorar a eficiência energética é cada vez mais ambiciosa3.

 

A indústria automóvel opõe-se a estas medidas desde 2009, com o argumento de que tornariam os automóveis mais caros para os europeus. No entanto, a análise dos dados de 2010 mostra que o Regulamento não só reduziu os consumos de combustível e as emissões de CO2 dos veículos na UE na ordem dos 13%, como foi acompanhado de uma descida do preço real dos veículos. No caso português esta descida foi na ordem dos 5% 4.

 

Francisco Ferreira, da Quercus, afirma que “com a previsão de escalada do preço dos combustíveis nos próximos anos, os condutores portugueses vão pagar cada vez mais por litro de combustível. Este é o momento certo para a indústria automóvel investir em tecnologias mais eficientes, acompanhando o compromisso político assumido pela União Europeia para a redução das emissões de CO2 nos transportes. Os últimos desenvolvimentos tecnológicos na indústria automóvel, a nível dos veículos elétricos e dos híbridos plug-in, mostram que o caminho da eficiência nos transportes é possível e será um passo fundamental para cumprir a meta de redução de gases de efeito de estufa dos transportes em 60%, até 2050”.

 

Para João Vieira, Presidente da Federação Europeia dos Transportes e Ambiente (T&E) “este estudo demonstra o triplo benefício de melhorar a eficiência dos veículos: os consumidores podem poupar mais de 100 euros por mês, reduzir as emissões de poluentes e beneficiar a economia portuguesa pela diminuição das importações de petróleo. Esperemos que a Comissão Europeia e o Governo Português não ignorem este estudo e que, na hora de decidir, pensem nos cidadãos e nos benefícios para o ambiente”.

 

Na União Europeia (UE), o transporte rodoviário é responsável por 20% do total das emissões de CO2, e o automóvel individual corresponde a mais de metade das emissões totais dos transportes. A CE adotou, em 2011, o Livro Branco dos Transportes, o qual estabeleceu como objetivo para o sector dos transportes a redução de 60% das emissões de gases com efeito de estufa até 2050, comparativamente aos níveis de 1990. Tendo em conta que as emissões do sector dos transportes aumentaram 27% entre 1990 e 2009, a UE tem de efetuar uma redução global de 68% até 2050, para a qual a revisão deste Regulamento é fundamental.


Lisboa, 12 de junho de 2012

 

A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 


 

(1)  http://topnewsbanker.reuters.com/topnews/genStory.aspx?id=nL5E8H6ANO

(2)  Regulamento (CE) nº 443/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho de 23 de Abril de 2009 que define normas de desempenho em matéria de emissões dos automóveis novos de passageiros como parte da abordagem integrada da Comunidade para reduzir as emissões de CO2 dos veículos ligeiros
http://eur-lex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=OJ:L:2009:140:0063:008:pt:

(3)  http://www.transportenvironment.org/press/eu-could-lose-leadership-position-fuel-efficient-cars  

(4)  Para informação detalhada acerca da resposta da indústria automóvel ao Regulamento recomenda-se a consulta do Relatório da T&E, Federação Europeia dos Transportes e Ambiente, “How clean are Europe’s cars, 2011 Edition” http://www.transportenvironment.org/Publications/prep_hand_out/lid/653

Share

 

Quercus TV

 

 

                            

 

Mais vídeos aqui.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb