Lisboa e Gaia fazem 350 Humano pelo Clima

O próximo dia 24 de Outubro, sábado, vai juntar milhares de pessoas em todo o mundo, com mais de 2.000 acções simultâneas em 170 países, promovidas pela 350.org no maior dia de acção global alguma vez feito para exigir acção no combate às alterações climáticas.

 

A Quercus e o Condomínio da Terra associam-se a este evento com a organização de acções em Lisboa (junto ao Padrão dos Descobrimentos) e em Gaia (no tabuleiro superior da Ponte D. Luís), ambas com início às 15 horas e cujo momento emblemático será a formação de um 350 humano. Todos os participantes irão concentrar-se nos respectivos locais à hora marcada e envergarão uma camisola branca.

 

Esta acção global será também assinalada na Herdade do Freixo do Meio, em Montemor-o-Novo, que integrou este movimento e vai organizar uma iniciativa, de entrada livre e gratuita, no dia 24 de Outubro.

 

Chamar a atenção para o número 350 é o objectivo. 350 partes por milhão é o nível seguro de concentração máxima de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera para que seja possível manter a temperatura global do planeta longe das alterações climáticas e abaixo dos 2ºC de aquecimento global. A actual concentração é de 390 partes por milhão CO2.

 

Os impactes devastadores das alterações climáticas estão já a ser sentidos – na forma de secas agravadas, cheias e eventos meteorológicos extremos – pelos países e comunidades mais pobres e vulneráveis, entre eles os países menos desenvolvidos e os países pequenas ilhas. Segundo a investigação científica recente, essas consequências graves tenderão a ocorrer mais cedo e de forma mais severa do que o inicialmente previsto, quer na Europa, quer no resto do mundo.

 

Os cientistas concordam que o aquecimento global deve ser mantido o mais longamente possível abaixo dos 2ºC de modo a evitar efeitos desastrosos, decorrentes das alterações climáticas.

 

Bill McKibben, fundador da 350.org e autor, há vinte anos atrás, do primeiro grande livro sobre alterações climáticas disse que é preciso um movimento à escala planetária, que impulsione uma mudança real do ponto de vista político. McKibben considera que “os nossos líderes terão hoje a oportunidade de ouvir os cidadãos e não apenas os grandes grupos económicos e os grandes poluidores.”

 

Estas acções globais ocorrem seis semanas antes da Conferência de Copenhaga, onde as nações de todo o irão acordar um novo tratado climático, sucessor do Protocolo de Quioto. Entre 7 e 18 Dezembro, os líderes mundiais terão 12 dias acordar em novas metas de redução de gases de efeito de estufa entre 2012 e 2020, bem como metas a longo prazo para 2050.

 

Em cima da mesa estarão questões como assegurar o envolvimento dos Estados Unidos da América, o nível de apoio aos países em desenvolvimento quer na mitigação, quer na adaptação, e ainda determinar a responsabilidade das economias emergentes. São pontos fulcrais que neste momento permanecem totalmente em aberto, não obstante a urgência de obter respostas para que o planeta possa ficar a salvo das consequências drásticas das alterações climáticas.

 

No dia 24 de Outubro, serão emitidas imagens dos eventos de todo o mundo, incluindo as manifestações em Lisboa e Gaia, em ecrãs gigantes da Times Square, em Nova Iorque, como parte de uma contagem decrescente 350. As imagens poderão ser vistas em www.350.org e serão entregues nas Nações Unidas na próxima segunda-feira, dia 26 de Outubro.

 

 

Lisboa, 22 de Outubro de 2009

 

A Direcção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 

 

Share

Quercus TV

       

 

Espreite também a Quercus TV.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb