Quercus pede ao Ministro do Ambiente que proíba a largada de balões

 

 

A Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza pede ao Ministro do Ambiente que legisle e proíba a largada de balões, atendendo aos impactes ambientais associados a este tipo de eventos, muitos deles irreversíveis.

 


Nestas iniciativas são largados balões feitos em plástico e balões com uma lâmpada LED, assim como a respetiva pilha associada. Após serem libertados estes serão transportados para diversos ambientes (terrestre ou marinho) e após terminada a viagem, aqui ficarão depositados como um resíduo contaminante deste habitat.

 

baloeministro 

 

 

No caso dos plásticos, ao fim de alguns anos vão perder a cor e fragmentar-se em pedaços mais pequenos, sendo certamente confundidos por alimentos e ingeridos por peixes e outros animais marinhos, acabando estes por morrer. No caso das pilhas, este produto é composto por metais pesados, podendo ter no seu interior mercúrio (Hg), níquel (Ni), cádmio (Cd) e chumbo (Pb). Uma simples pilha é suficiente para contaminar uma área considerável de solos (equivalente à área de um campo de futebol) durante 50 anos.

 

 

baloes animais 2

 

A Quercus compreende as causas solidárias que estão normalmente na origem destas iniciativas, mas reforça que qualquer que seja a causa não poderá prejudicar outra, pelo que recomendamos a substituição das atividades de largada de balões por outras iniciativas com menos impacte ambiental.


 

Obtenha aqui mais informação sobre estas problemáticas. 

 

E sobre pilhas e contaminação por metais pesados.

 


Lisboa, 13 de dezembro de 2016

 

 


 
A Direção Nacional da Quercus- Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 

 

 

 

 

Share

Quercus ® Todos os direitos reservados
Site criado por PTWS Alojamento Web e WebDesign